Biotecnologia – Portugal

Notícias 26/12/2008

Filed under: Notícias — Hugo Azevedo @ 22:26
Tags: , , , ,

Biotecnologia espanhola

 

A projecção da biotecnologia em Espanha é incomparável com a que tem em Portugal, uma prova disso mesmo é o número de centros de incubação de empresas de base biotecnológica existentes em Espanha, 24 neste momento.

 

 Evolução do número de empresas do sector das novas tecnologias de forma crescente nos ultimos 10 anos segundo a APTE.  (Asociación de Parques Científicos y Tecnológicos de España )

 

 

 

 

 

 

Um outro gráfico representativo da envolução do emprego qualificado em Espanha:

 

 

 

 

 

Em Portugal não existem dados estatísticos sobre o numero de empresas de biotecnologia, nem em termos de trabalhadores existentes nas empresas portuguesas, mas por algumas pesquisas que fiz deu para perceber que a grande maioria das empresas para as quais eu  tenho link neste blog, não emprega mais de 5 trabalhadores, com algumas excepções na área farmacêutica. E com isto podemos ver que ainda temos muita para evoluir na área da biotecnologia, nomeadamente na cieação de novas empresas, e de empregos, que é no fundo o que nos estudantes de biotecnologia procuramos.

 

Notícias 17/12/2008

Filed under: Notícias — Hugo Azevedo @ 10:38
Tags: , ,

Mariano Gago: Portugal “subiu de escalão” no

investimento em investigação 

 

 

 

 O ministro da Ciência, Mariano Gago, considerou hoje que “Portugal mudou de escalão” no que se refere ao investimento em investigação e ao potencial científico e tecnológico do país, estando agora a par de países como a Espanha ou a Irlanda.

 

Portugal foi o país da Europa onde a despesa em Investigação e Desenvolvimento (I&D) mais cresceu entre 2005 e 2007, sendo agora o 15.º país da União Europeia que mais investe nesta área, segundo o gabinete de estatísticas europeu Eurostat.

 

A despesa de Portugal com esta área cresceu cerca de 46 por cento, quando medida em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB), muito acima da média europeia, que cresceu um por cento neste período.

 

 O investimento em Investigação e Desenvolvimento passa a representar globalmente 1,2 por cento do PIB, atingindo assim os níveis de Espanha (1,2 por cento), aproximando-se dos da Irlanda (1,3 por cento) e superando a Itália (1,1 por cento).

 

Os dados, ainda provisórios, foram divulgados no sábado e referem-se aos resultados do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN) referente a 2007.

 

Mariano Gago destacou ainda que 45 por cento dos 36 mil investigadores que Portugal tinha em 2007 eram mulheres, “uma das mais altas percentagens da Europa”.

 

Recordando que sempre defendeu que o investimento público em I&D iria impulsionar o investimento das empresas, Mariano Gago sublinhou que já lhes pertence 50 por cento do esforço nacional em investigação.

 

Por sectores que mais investem em I&D, às telecomunicações, entidades financeiras, seguros e informática, vieram juntar-se mais recentemente a energia, a indústria alimentar e a farmacêutica.

 

“Pela primeira vez é assim em Portugal, o que só é possível (esse crescimento) porque partimos de valores muito baixos”, realçou.

 

Notícias 16/12/2008

Filed under: Notícias — Hugo Azevedo @ 19:09
Tags: ,

Biotecnologia na Escandinavia – um exemplo a seguir

 

 

 

 

No relatório anual “Beyond Borders: the global biotechnology report 2007” da consultora Ernst&Young, a industria biotecnológica Dinamarquesa ocupa, juntamente com a Alemanha, o terceiro lugar na lista de países Europeus, no que diz respeito ao número de produtos em pipeline.

 

 

Existe uma grande centralização da indústria biotecnológica dinamarquesa na área da Grande Copenhaga, que forma juntamente com a região de Skåne no sul da Suécia, o Medicon Valley. Adicionalmente, desenvolveram-se também outros pólos biotecnológicos de menores dimensões associados às Universidades das cidades de Aarhus, Odense e Aalborg.

Medicon Valley é um dos maiores e mais importantes clusters de Biotecnologia e Investigação & Desenvolvimento (I&D) da Europa, associado a grandes Universidades e que compreende cerca de 100 empresas de biotecnologia, 70 companhias farmacêuticas, 130 empresas de medtech (tecnologia médica) e 15 instituições de investigação clínica. Esta diversidade de indústrias e centros I&D, que variam em dimensão e especialização, integrada num ambiente empresarial dinâmico, tornam o Medicon Valley um pólo extremamente atractivos e com inúmeras vantagens competitivas para o estabelecimento de novas empresas de biotecnologia. A I&D é uma das fundações desta associação de sucesso e conta com um grande investimento público e privado, bem como um crescente apoio dos governos Dinamarquês e Sueco. A excelência dos recursos especializados e da investigação realizada na região de Medicon Valley traduz-se não só na quantidade e qualidade de artigos científicos produzidos mas também nas aplicações de patentes, colocando Medicon Valley a par dos grandes centros mundiais de biotecnologia, como o Karolinska Institutet em Estocolmo, Stanford University em Silicon Valley e Oxford.

 

 

 

 A Dinamarca e a Suécia encontram-se entre os países europeus que disponibilizam mais fundos para I&D per capita, especialmente na área das ciências da vida. Um bom exemplo deste compromisso na Dinamarca é o Fundo para a Alta Tecnologia (EUR 402 milhões) para suportar o desenvolvimento, a longo prazo, de tecnologias-chave entre as quais se insere a Biotecnologia

 

 

 Com uma quantidade crescente de mão-de-obra altamente qualificada, de visão global e empreendedora, com formação em biotecnologia e áreas relacionadas, Portugal tem todos os meios para se juntar à lista de países europeus na vanguarda da biotecnologia, atrair investimento e reforçar a competitividade de Portugal nas novas áreas de mercado. Apenas temos de agarrar a oportunidade e saber gerir os nossos recursos de uma forma mais eficiente e dinâmica do que até aqui temos feito.

 

 

 

Notícias 07/12/2008

Filed under: Notícias — Hugo Azevedo @ 18:41
Tags: , ,

Bayer investe em Biotecnologia

Desde 2006, a Bayer investiu mais de 10 milhões de euros numa nova unidade de produção 

Localizado em Halle, na Alemanha, o Biocentro emprega 26 investigadores da Icon Genetics, empresa subsidiária da Bayer, que se dedicam a criar substâncias activas biotecnológicas a partir de plantas.

A primeira terapêutica em desenvolvimento é uma vacina para o tratamento do Linfoma Não Hodgkin, o quinto tipo de cancro mais comum, e que ataca o sistema linfático. O objectivo desta “terapêutica personalizada” é activar o sistema imunológico do doente, para que o próprio organismo detecte e destrua as células malignas. Os ensaios clínicos de fase I estão previstos já para 2009.

“Os cancros não são todos iguais. Há diferentes tipos de tumores e os tratamentos têm de ser específicos e adaptados. O objectivo é, por métodos biotecnológicos, produzir um fármaco individual para cada doente”, explica o Dr. Wolfgang Plischke, membro do Conselho de Administração da Bayer AG.

Actualmente, 15% dos fármacos resultam de investigação biotecnológica e 1 em cada 4 novos medicamentos são compostos biofarmacêuticos cujo componente activo é produzido em bioreactores utilizando bactérias, levedura de cerveja e células de insecto ou hamsters, por exemplo. Estima-se que estes produtos, em particular os destinados ao tratamento do cancro, venham a representar um segmento de mercado com enorme crescimento.

 

By: ciênciapt.net

 

Empresas de base biotecnologica em Portugal 05/12/2008

Filed under: Biotecnologia — Hugo Azevedo @ 15:20
Tags: ,

Em Portugal a biotecnologia tem sido uma das áreas com maior crescimento nos últimos anos, que a muito se deve a iniciativa NEOTEC, lançada em 2005 para o incentivo a criação de novas empresas de base tecnológica.

 

Neste concurso foram submetidas 220 candidaturas, tendo sido aprovadas 116. Destas 116 empresas 25 são empresas de biotecnologia, subdividindo-se em 3 categorias:

  •  Biotecnologia Saúde – Com 10  novas empresas
  •  Biotecnologia Agroalimentar – Com 11 novas empresas
  •  Biotecnologia Outras – Com 4 novas empresas

As empresas de base biotecnológica representam aproximadamente 22% de todas as empresas criadas neste projecto, o que demonstra a importância e o crescimento da biotecnologia em Portugal.

 

 

Seminários e Eventos

Filed under: Biotecnologia — Hugo Azevedo @ 14:42
Tags: ,

 

Para os eventuais  interessados estão disponíveis no blog, no canto superior direito, a azul, uma lista com eventos workshops e seminários que estão de algum modo interligados com a biotecnologia.

 

Agradecia também ue se alguém tiver conhecimento de outros eventos que não estejam mencionados na página, que deixa-se um comentário para eu posteriormente também o divulgar, obrigado desde já pela vossa colaboração.