Biotecnologia – Portugal

Ultrapassar o crivo do sistema imunitário sem baixar as defesas 15/11/2009

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 13:30

36823[1]Tecnologia de apoio a transplantes de fígado, desenvolvida por empreendedores portugueses, foi premiada no Texas em competição internacional.

 

A equipa constituída por Luís Graça, Marta Monteiro e David Cristina (que foi um dos responsáveis pelo podcast Ciência Hoje), investigadores do Instituto de Medicina Molecular (Universidade de Lisboa) e do Instituto Gulbenkian de Ciências, arrecadou o segundo lugar na conceituada competição Idea to Product® organizada pela Universidade do Texas em Austin.

 

Trata-se de uma competição de planos de comercialização de tecnologias embrionárias que visa premiar ideias originais de produtos dirigidos a uma necessidade de mercado bem definida, baseados em tecnologias inovadoras. Marta Monteiro caracterizou a experiência como “uma oportunidade única para obter feedback de alguns dos maiores especialistas internacionais relativamente à nossa ideia de negócio” e de “aperfeiçoar a nossa capacidade de explicar o nosso produto e modelo de negócio”.

Durante a sua estadia em Austin, a equipa lusa viu seu projecto ser elogiado por empreendedores e especialistas em capital de risco por ser altamente passível de ser financiado. “O retorno foi extremamente positivo”, diz Marta.

A tecnologia é uma terapia celular inovadora que permite diminuir significativamente os problemas associados aos transplantes de fígado: evitar a rejeição e reduzir os efeitos secundários nefastos das actuais terapêuticas. Esta tecnologia está actualmente em fase de prova de conceito com resultados bastante promissores.

Luís Graça explica que “neste momento, o grande obstáculo ao sucesso da transplantação não é a cirurgia em si mas antes conseguir evitar a rejeição pelo sistema imunitário. Os medicamentos actuais diminuem a acção do sistema imunitário diminuindo o risco de rejeição, mas em contrapartida deixam o organismo susceptível a infecções graves e cancro.”

 

A tecnologia apresentada a concurso permite, em transplantes de fígado, restringir a diminuição da acção do sistema imunitário apenas ao órgão transplantado. Deste modo, o organismo não fica com as suas defesas gerais comprometidas.

Os investigadores portugueses contaram com o apoio da COTEC (programa COHiTEC) na avaliação das aplicações da sua tecnologia, que pretendem agora desenvolver através da criação de uma companhia de biotecnologia – Acellera Therapeutics. David Cristina explica que vão seguir “um modelo clássico de desenvolvimento de terapêuticas, procurando parcerias estratégicas, inicialmente com capital de risco e, mais tarde, com grandes farmacêuticas”.

Mediante o estabelecimento de novas parcerias que permitam reunir o financiamento necessário, a Acellera Therapeutics pensa chegar às fases de ensaios pré-clínicos nos próximos dois anos.

O prémio obtido nesta competição internacional que visa educar e desenvolver a próxima geração de empreendedores veio, pois, distinguir a tecnologia portuguesa como uma das com maior potencial para investimento e aplicação a nível internacional.

by: CiênciaHoje

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s