Biotecnologia – Portugal

Luvas biodegradáveis para uso industrial 26/01/2010

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 15:59

A bolseira do projecto, Adelaide Araújo

 

Com o objectivo de resolver um problema ambiental, provocado pelos actuais materiais usados na confecção das luvas de protecção industrial, apostando na criação de um produto inovador, cem por cento biodegradável, a Multinacional Marigold Industrial (um dos grupos líderes mundiais na produção de luvas para uso industrial) contactou a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra para parceira no projecto.

 

A equipa de I&D da empresa já desenvolveu um fio natural para a tricotagem deste tipo de luvas, muito utilizadas, por exemplo, nas indústrias automóvel e metalúrgica, mas a grande dificuldade residia em conceber um revestimento biodegradável para substituir o polímero sintético utilizado presentemente.

 

Confrontado com o problema, o grupo de investigação em polímeros da FCTUC, liderado pela catedrática Maria Helena Gil, realizou diversos estudos, recorrendo a polímeros naturais (proteína de soja, amido e quitosano, entre outros), que originaram uma gama de novos materiais biodegradáveis, cujos ensaios realizados apresentaram resultados muito positivos, sendo agora necessário “optimizar o processo”.

 

Adelaide Araújo, bolseira do projecto, explica que “é preciso melhorar as propriedades mecânicas do revestimento porque as luvas de protecção industrial têm requisitos muito exigentes: resistência a altas temperaturas, à corrosão, à água e um elevado nível de aderência aos objectos, entre outros, para garantir a máxima segurança aos utilizadores”.

 

Financiado pelo QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional, o projecto, denominado ‘Biodegrad glove’, começou a ser desenvolvido há um ano e, dentro de dois, a nova luva de protecção industrial, totalmente biodegradável, deverá estar pronta a entrar no mercado.

 

“Além de financeiramente viável, este produto inovador vai resolver um problema ambiental porque os revestimentos actuais são geralmente feitos à base de polímeros sintéticos (plástico) não degradáveis e tóxicos”, afirma Adelaide Araújo, acrescentando que “a transferência de conhecimento das universidades para a indústria é essencial. As parcerias com o tecido empresarial são estratégicas para a competitividade económica de qualquer país”.

 By: CiênciaHoje

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s