Biotecnologia – Portugal

O Futuro É Deles 2012: Carlos Faro, Director fundador do Biocant 19/12/2011

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 14:28

Artigo publicado a 16 de Dezembro de 2011 na Revista: Notícias Magazine, do Diário de Notícias

Ler artigo completo AQUI


No próximo ano, vamos ouvir falar (ainda mais) destas 12 brilhantes promessas que estão a destacar-se em várias áreas. É nisso que acreditam os 12 profissionais de renome a quem pedimos ajuda para elaborar a lista. Eles vão estar atentos. Nós também.


CIÊNCIA


A escolha de Carlos Fiolhais, professor catedrático, director do Centro de Física Computacional da Universidade de Coimbra e divulgador de ciência.


Carlos Faro


Descodificar o genoma nacional

 ..

O currículo brilhante não o qualifica exactamente como revelação, mas Carlos Fiolhais, possivelmente o físico mais famoso de Portugal, garante que o trabalho desenvolvido por Carlos Faro em Cantanhede é ímpar e que vai dar que falar em 2012. Director fundador do Biocant, o primeiro parque de Biotecnologia em Portugal, Carlos Faro é professor de Biologia Molecular e Biotecnologia da Universidade de Coimbra e prepara-se para lançar um projecto ambicioso: a longo prazo, o Porgene poderá levar à descodificação do genoma de toda a população portuguesa. Em parceria com a Universidade de Coimbra e a empresa Critical Software, o primeiro passo será a sequenciação do genoma de cem portugueses, entre os quais estarão ele próprio e o professor Carlos Fiolhais, um dos parceiros desta missão, numa amostra que se pretende representativa da população nacional.


Cumprida a meta de longo prazo, por enquanto incomportável do ponto de vista financeiro, é um admirável mundo novo que se abre em termos médicos. «Explicado de uma forma muito simples: se tem problemas de colesterol, conhecendo o seu background genético, o médico pode receitar-lhe um fármaco “à medida”, aumentando em muito a sua eficácia. A medicina tornar-se-ia personalizada, podendo ser adoptadas estratégias de prevenção e terapêutica ajustadas ao perfil genético de cada um, o que representaria uma enorme redução de custos ao Sistema Nacional de Saúde.» Se existisse uma base de dados genética de todos os portugueses, seria possível, por exemplo, ver automaticamente se existia um dador compatível de medula para o filho do jogador de futebol Carlos Martins. É a este projecto, com grandes potencialidades, mas também alguns desafios éticos e legais, que Carlos Faro dedicará, em exclusividade, o ano 2012, e a maioria das horas do seu dia. O que não será problema. «Quem trabalha nestas áreas não desliga, porque o trabalho é um prazer. Há sempre tempo para mais.» Catarina Pires, DN

 

Treat U – A conjugação da Biotecnologia com a Nanotecnologia 15/12/2011

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 12:08

A Treat U encontra-se entre cinco jovens empresas tecnológicas portuguesas que foram escolhidas para o projecto piloto “Empreendedorismo em Residência” da Universidade Carnegie Mellon (CMU), entre mais de 30 “start-up” portuguesas contactadas este ano em todo o país.

 

     

 

A Treat U dedica-se ao desenvolvimento de plataformas de base nanotecnológica para a entrega de agentes terapêuticos (fármacos ou siRNA) de forma específica e direccionada para o tumor. Este desiderato resulta de vantagens tecnológicas que as plataformas apresentam em relação aos diferentes produtos disponíveis comercialmente ou em ensaios clínicos. A tecnologia da Treat U constitui, assim, uma mais-valia para a Indústria Farmacêutica, não só pelo valor acrescentado para os doentes, médicos e unidades prestadoras de cuidados de saúde, mas também pela criação de um novo valor para fármacos já existentes cuja patente expirou ou irá expirar num futuro próximo. Desta forma, produtos como os desenvolvidos pela Treat U permitem à Indústria acautelar a extensão do ciclo de vida do seu pipeline, mantendo o nível das vendas anuais dos seus produtos.


Os sócios fundadores da Treat U (Vera Moura, João Nuno Moreira e Sérgio Simões) são profissionais na área do desenvolvimento farmacêutico. A equipa multidisciplinar, que entretanto acresceu a participação da Bluepharma, S.A., reúne as competências necessárias à concepção e desenvolvimento de plataformas de base nanotecnológica, determinação de parâmetros de farmacocinética, desenvolvimento de fármacos, farmacologia, ensaios clínicos e desenvolvimento comercial, preenchendo os requisitos da cadeia de valor do medicamento.


O histórico de inovação da TREAT U é um percurso de cerca de duas décadas que relata a evolução do conhecimento e da experiência de concepção de partículas dirigidas para a entrega de fármacos em terapia oncológica. Este caminho comprova também a capacidade de liderança de projectos de investigação científica e tecnológica financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), pela Agência de Inovação (ADI) ou pela Indústria Farmacêutica. Engloba ainda uma experiência profunda na área da Indústria Farmacêutica, pela participação de alguns dos promotores na criação de empresas como a Bluepharma – Indústria Farmacêutica S.A. e a Luzitin, S.A., assim como a integração de quadros altamente qualificados com experiência no desenvolvimento pré-clínico e clínico do primeiro medicamento criado em Portugal e lançado no mercado pela BIAL (Portela & Cª, S.A.), com é o caso de Luís Almeida.


Com o objectivo de promover a valorização da tecnologia desenvolvida em laboratório pela equipa fundadora, a Treat U pretende conduzir as plataformas a Ensaios Clínicos de Fase I e Fase II, com o intuito de estabelecer prova de segurança e eficácia terapêutica em humanos.


Esta participação neste programa criado pela Carnegie Mellon University permite alavancar as competências da equipa inicial da Treat U e procurar parcerias e investidores fora de Portugal. O programa enquadra-se nos objectivos da empresa, criando oportunidades de penetração no mercado global das terapias dirigidas em Oncologia

 

Cell2B wins the life sciences track at “BES Inovação” with the project ImmuneSafe 12/12/2011

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 14:17
Tags: , ,

Cell2B, a biotechnology-based start-up founded by students from the MIT Portugal Program, is the 2011 winner of BES National Innovation Contest at Health Technology and Biotechnology track. Cell2B received the award for their project ImmuneSafe, the first product that Cell2B intends to launch to the market.


“ImmuneSafe is a cell therapy designed for patients who have shown signs of rejection after bone marrow transplantation and allows the modeling of the immune system in cases of acute rejection” explains David Malta, CEO of Cell2B.


So far the ImmuneSafe therapy has been successfully administered to seven patients at the Portuguese Institute of Oncology Francisco Gentil (IPO). David adds that “First we intend to validate the treatment of therapy-resistant severe acute graft-versus-host disease, that affects patients after a bone marrow transplant and, in severe cases, can to the patient’s death”.


The next step for Cell2B is to conduct a clinical trial in Europe, paving the way for commercialization. After the initial proof of concept it is now necessary to conduct a clinical trial to demonstrate efficacy and ultimately to achieve the marketing approval by regulatory agencies (INFARMED in Portugal and EMA in Europe). “Right now we are preparing this study with the regulators, we want to start by the end of next year,” said the CEO.


The prestigious award associate with its monetary value of 60.000 Euros  is of great importance for the young start up: “Winning the ‘BES Inovação’ track a recognition stamp of the value for our project. For us, its promoters, is an additional motivation to continue our journey”.


The young company is aiming for a final off-the-shelf product that can be applied to several immune and inflammatory related diseases.


By: MIT-Portugal