Biotecnologia – Portugal

III Workshop de Biotecnologia da Universidade de Aveiro 27/04/2012

Filed under: Biotecnologia,Eventos — Hugo Azevedo @ 13:09

9 de Maio de 2012

Auditório do Departamento de Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro

 

 

Inscrições até 2 de Maio de 2012

A inscrição no III WS Biotecnologia é gratuita.

Mais informações AQUI

Anúncios
 

Gene PreDiT apresenta novo sistema de robótica para a realização de ensaios high throughput screening em Drosophilas 26/04/2012

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 15:59

A Gene PreDiT, uma das empresas incubadas no Biocant Park em Cantanhede apresentou publicamente no congresso 53rd Annual Drosophila Research Conference (http://www.drosophila-conf.org/2012/), o seu novo sistema de robótica que desenvolveu, em parceria com o Instituto de Sistemas e Robótica da Universidade de Coimbra.

 

A grande preocupação da Gene PreDiT foi desenvolver um sistema automatizado que simultaneamente reduzisse a ação Humana, em particular os erros e variabilidade daí inerentes, ao mesmo tempo libertando os seus colaboradores de uma tarefa monótona, que assim podem dedicar-se a outras atividades no laboratório.


Apesar da preocupação central que originou o desenvolvimento deste sistema automatizado ter sido garantir a consistência e coerência na preparação de amostras e não com o objetivo de realizar a tarefa num período de tempo mais curto, a utilização deste sistema acaba também por traduzir-se num aumento de produtividade no laboratório já que o investigador pode dedicar-se a outras tarefas enquanto o robot processa as amostras.


A versão atual do robot está plenamente adaptado para a purificação proteínas, lípidos e a açúcares, e pode ser facilmente adaptado a outras finalidades, nomeadamente a preparação de amostras para extrações de ácidos nucleicos. Para além do processamento de amostras de moscas adultas, este sistema pode ser utilizado para diversos tipos de material biológico, quer sejam amostras de tecidos, extratos de células ou ainda para processamento de amostras de plantas.


O sistema desenvolvido inclui uma balança, um homogenizador de tecidos e uma centrífuga para remoção de partículas de maior dimensão. No entanto, este set up pode ser adaptado, de modo a ajustá-lo às necessidades específicas de cada utilizador, pela remoção ou adição de determinados componentes. Neste momento a Gene PreDiT está já a efetuar alterações específicas com o objetivo de alargar os potenciais usos deste sistema robotizado. Todas os componentes do robot estão integrados numa plataforma única, que no final disponibiliza o material em duplicados numa placa de 96 poços standard.




No sentido de proteger a propriedade intelectual associada a este novo equipamento desenvolvido de raiz pela empresa e Universidade de Coimbra, a Gene PreDiT submeteu um pedido de patente.


Em suma, o sistema robotizado desenvolvido pela Gene PreDiT traduz-se num benefício para o os laboratórios porque permite aumentar a qualidade e consistência na preparação de amostras, e por isso melhorando a qualidade científica dos resultados obtidos (através da sistematização e da redução da ação Humana no protocolo laboratorial) e diminuirá o tempo necessário para a obtenção dos resultados e os custos associados aos resultados obtidos (através do aumento do número de amostras que passa a ser possível processar, sem implicar o aumento de carga laboratorial da mão-de-obra qualificada existente).


Para mais informações, por favor contacte robot@genepredit.com.pt

 

Conferência OeirasBioTech: NZYtech – trabalhar hoje numa empresa de biotecnologia 04/04/2012

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 22:45

A possibilidade de trabalhar hoje numa empresa de biotecnologia é uma realidade. Exemplo disso é a NZYtech, sobre a qual Luís Ferreira falou na II edição da Conferência OeirasBioTech que se realizou ontem, em Oeiras. A NZYtech foi fundada na Faculdade de Medicina Veterinária (FMV), em 2008, pelos professores Carlos Fontes e Luís Ferreira, a fim de explorar o potencial comercial das enzimas carbohidratos activa (CAZYmes).

Uns anos mais tarde, quando surgiu o «NEOTEC», “um programa muito interessante, desenhado para investigação que já estava num passo razoavelmente adiantado na universidade”, a equipa da NZYtech foi para uma incubadora de empresas no Instituto Superior de Agronomia (ISA). “Numa primeira fase, éramos dois promotores e dois doutorados”, contou Luís Ferreira.

Dois anos depois, a equipa e o trabalho crescente “não cabiam” no “pequeno edifício” do ISA e passaram para um laboratório no Campus do Lumiar, onde estão actualmente e que “também já é pequeno”, diz o responsável. “Já temos a trabalhar connosco três doutorados, três mestres e mais três licenciados”, justificou. Aquilo que foi e tem sido o objecto de estudo deste grupo tem sido as enzimas que degradam carbohidratos e as características moleculares de celulases e hemicelulases. “Todas estas enzimas organizam-se à volta de uma proteína estruturante onde depois se ligam todas as outras enzimas que têm uma particularidade que é o terminal Dockerina”, descreveu Luís Ferreira.

A empresa tem rendido “apenas através do site” e porque também participa em algumas conferências e congressos. “Só há meio ano é que começámos a ter vendedores”, conta o professor. “Mas continuamos a vender na página da internet” para 30 países no mundo, acrescentou.

NZYTech - Xylan Acetyl Esterase 4A

Todos os 200 produtos, que incluem genes, enzimas e kits analíticos comercializados pela NZYtech, resultam de investigações realizadas internamente pelo grupo de pesquisa. No que respeita ao desenvolvimento específico dos 16 kits analíticos a empresa contou com o apoio de um projecto QREN que termina em Setembro.

Com quatro anos de vida e nove empregados, a NZYtech “tem tido um crescimento lento”, considera Luís Ferreira. No entanto, os planos da empresa são de continuar a dedicar uma quantidade considerável de recursos para pesquisa e inovação pois a equipa acredita esses sejam a base da vantagem competitiva.

By: Ciência Hoje