Biotecnologia – Portugal

Empresa de biotecnologia, Converde, SA, inaugurou a sua unidade industrial em Cantanhede 21/01/2013

Filed under: Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 13:58

A empresa de biotecnologia Converde, SA, inaugurou, esta sexta-feira, a primeira unidade industrial de produção de um novo fungicida biológico, a partir do processamento da semente de tremoço através de métodos inovadores.

Trata-se de um investimento de 30 milhões de euros num projeto pioneiro a nível mundial e que foi desenvolvido integralmente por investigadores portugueses, iniciando-se agora a fase de produção industrial, que atingirá os 100 postos de trabalho quando a empresa chegar a velocidade cruzeiro.

CEV converde cantanhedeA inauguração contou com a presença do Secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional, António Almeida Henriques, e do presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, João Pais de Moura, que tiveram como anfitriões o presidente do Conselho de Administração da Converde, SA, José Romão de Sousa, e os administradores Mário Pinto e Sara Monteiro.


Na apresentação dos contornos do investimento, José Romão de Sousa fez a descrição das principais fases do processo que veio a culminar com a instalação da unidade industrial em Cantanhede. José Romão de Sousa explicou também que a localização da unidade para produção industrial do fungicida em Cantanhede surgiu na sequência de «diligências do Presidente do Biocant, Professor Carlos Faro, e à excelente recetividade da Câmara Municipal de Cantanhede, na pessoa do seu Presidente, Professor João Pais Moura», adiantando que «em apenas 60 dias foi escolhido o terreno e acordada a compra. Queremos fazer deste projeto um sucesso e um “case-study”, que começa com investigação fundamental na universidade e que evolui para um produto/negócio completamente inovador, de verdadeira descontinuidade tecnológica» sublinhou.


Por seu lado, o Secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional considerou o investimento da Converde «uma boa notícia para a economia do país e da região, uma demonstração de que há razões para acreditar no potencial nacional e no nosso futuro. Ideias inovadoras, como esta, contribuem para reindustrializar o país, aumentar as exportações e recolocar a economia numa rota de crescimento».
Almeida Henriques saudou ainda «o papel do município de Cantanhede no acolhimento deste investimento, em boas condições de localização e funcionamento». Para este membro do Governo, «há, mais do que nunca, um papel dos territórios e dos municípios na atração, incubação e ativação dos investimentos produtivos e Cantanhede reforça o seu pulmão económico inovador com esta indústria, vizinha daquela que é já hoje uma referência nacional da economia baseada na inovação: o Biocant».


As instalações da Converde em Cantanhede estão implantadas numa superfície de 48.000 m2 de terreno, dos quais 17.000 m2 são de área coberta, distribuída por três blocos.

Nota: A notícia será actualizada em breve com fotos da unidade industrial.

 

Empresa de Biotecnologia investe 4,2 milhões de euros para produção de microalgas nos Açores 16/01/2013

Filed under: Biodiesel,Biotecnologia,Notícias — Hugo Azevedo @ 11:24

O Governo dos Açores reconhece interesse estratégico para a Região do projeto de investimento para a produção de microalgas e suplementos alimentares antioxidantes e a construção de uma unidade de remoção de microalgas e cianobactérias de massas de água eutrofizadas.

Trata-se de um investimento no valor global superior a 4,2 milhões de euros, que será concretizado pela empresa Algicel Indústria no concelho da Lagoa.

astaxanthin caratenoides algicelO despacho conjunto do Vice-Presidente do Governo e do Secretário Regional dos Recursos Naturais, publicado esta segunda-feira no Jornal Oficial, considera que o projeto se insere na estratégia de desenvolvimento regional consagrada no Programa do XI Governo Regional dos Açores, nomeadamente no que se refere à dinamização e revitalização da produção de bens transacionáveis para incremento da capacidade exportadora da região.

Este projeto de investimento, que prevê a criação de 12 postos de trabalho, assume um carácter manifestamente inovador para o tecido económico regional, transpondo os resultados da investigação científica realizada, entre 2007 e 2011, pela empresa Algicel – Biotecnologia e Investigação, em consórcio com a Universidade dos Açores, com claro desenvolvimento tecnológico no âmbito da biotecnologia e da gestão dos recursos naturais.

Algicel Açores FabricaOs bens que serão produzidos no quadro deste projeto são produtos de alto valor acrescentado, maioritariamente direcionados para a exportação, que se pretende que sejam associados à marca e à sustentabilidade ambiental dos Açores.

Apesar deste projeto não atingir o montante mínimo de cinco milhões de euros de investimento exigido para o reconhecimento de Projetos de Interesse Regional, o despacho conjunto assinado por Sérgio Ávila e Luís Neto Viveiros recorda que podem ser reconhecidos projetos com um valor de investimento inferior desde que apresentem uma forte componente tecnológica, de investigação e desenvolvimento, de inovação aplicada ou de manifesto interesse ambiental.

Fonte: Açoriano Oriental